Saúde em Notícia

Confira agora uma lista com 6 dicas de alimentação Pós-carnaval para ajudar você a manter o foco na dieta fitness



 1. Voltar à rotina: A primeira e mais importante. Se você já tem um acompanhamento e um planejamento alimentar, volte a segui-lo o mais rápido possível. Esqueça o pensamento: “eu já comi errado todos esses dias mesmo, um dia a mais não vai fazer diferença”. Quanto antes você voltar à rotina, melhor!

2. Beber muita água: Se atente a ingestão hídrica. Beber muita água é o segundo passo pra ajudar a recuperar o organismo

3. Abusar de alimentos naturais: Se você exagerou no feriado, abuse de alimentos naturais, frescos. Evite industrializados e alimentos processados. Essa é uma dica para seguir sempre, mas agora é especialmente importante.

4. Destoxificar o organismo: Chás e temperos naturais ajudam pela ação anti-inflamatória, diurética, digestiva e alguns otimizam o metabolismo. Chá de cavalinha, carqueja, laranja amarga, gengibre. Temperos como cúrcuma, alecrim, orégano. Use sua criatividade e varie nas ervas e complementos, pois todos tem propriedades benéficas!

 5. Controlar a fome: Quando passamos alguns dias comendo de forma inadequada a fome pode aumentar. Para controlar a fome, aumentar o consumo de fibras, proteínas e gorduras de qualidade é interessante. Alimentos como abacate, coco e castanhas por exemplo, possuem gorduras de qualidade. Proteínas como peixes, frango e leguminosas para vegetarianos pode ser uma boa pedida também. As fibras podem ser encontradas em vegetais, verduras e frutas.

6. Alimentação saudável:Mantenha uma rotina saudável sempre! Se você recomeça sua dieta no pós-festa e logo na primeira semana tem refeições “não-saudáveis” pode ser mais difícil aderir à alimentação saudável por muito tempo. Pense que quando ativamos o nosso paladar com alimentos muito doces, artificiais e com gorduras super processadas é mais difícil no dia seguinte ter prazer em comer alimentos frescos e naturais, que não tem todos esses temperos e estimulantes artificiais.

Fonte: https://news.gympass.com/dicas-alimentacao-pos-carnaval/

Jaborandi: força e crescimento para seus cabelos!

  Originada no Maranhão, o jaborandi (pilocarpus Jaborandi) é uma arvorezinha com folhas e raízes muito    usadas medicinalmente. A principal substância da planta é a pilocarpina, que é utilizada frequentemente em colírios para o tratamento de glaucoma.

Propriedades Terapêuticas do Jaborandi

  É uma planta que possui variadas propriedades terapêuticas tais como anti-inflamatória, antirreumática, diaforética, depressora cardíaca, estimulante do crescimento dos fios capilares, emoliente, expectorante, febrífuga, hipoglicêmica e laxativa.



                                                                                                                                                                Benefícios do Jaborandi no Cabelo


  • Ajuda no fortalecimento capilar
  • Possui princípios ativos, como os taninos, que contam com ação adstringente e auxiliam na limpeza profunda do couro cabeludo combatendo a oleosidade e a seborreia.
  • Promove ação tonificante, atuando diretamente no couro cabeludo, tornando-o mais forte.
  • Melhora o brilho e dá volume aos fios
  • Por ser emoliente, deixa os cabelos macios e sedosos.
  • O jaborandi tem a substância pilocarpina, que age na matriz do cabelo e previne a queda capilar, promovendo, inclusive, o crescimento dos fios.
  • Estimula a renovação capilar.

Chá de Jaborandi

O jaborandi é muito usado em forma de chá na medicina popular; para tratamento de diferentes tipos de venenos, no tratamento de úlceras da boca, para cicatrização de feridas, melhora de acnes, para tosses e para o funcionamento do intestino preso.

Como Aplicar No Cabelo?

A massagem com jaborandi ativa a circulação sanguínea, o que leva a uma melhor oxigenação e à nutrição das raízes. Assim, estimula o crescimento capilar.

  • Você encontra concentrados e tônicos em forma de ampola, que podem tanto ser misturados no shampoo, como também passados e massageados diretamente no couro cabeludo. A massagem ajuda a aumentar ainda mais a circulação e potencializa os efeitos.
  • Você pode fazer um chá de jaborandi e enxaguar o cabelo desde a raiz até as pontas.
  • O óleo de jaborandi pode ser aplicado diretamente no couro cabeludo fazendo massagens, ou pode-se fazer uma umectação, aplicando o óleo nos cabelos, mecha por mecha, para melhor absorção do produto. Coloque uma touca e deixe agir por 1 hora antes de enxaguar.
  • A forma mais eficiente de uso da planta é usando o extrato glicólico de jaborandi. Pode ser usado com óleos vegetais para massagens no couro cabeludo e colocando-o diretamente em shampoos tradicionais, de forma potencializar o produto. Seu couro cabeludo e fios terão muito mais força!

Contra-Indicações do Jaborandi

Em forma de cosmético pode ser utilizados por todos. Porém é sempre recomendável procurar o médico dermatologista, principalmente em casos de calvície, pois o tratamento pode não funcionar. Tenha em vista que a queda pode ser causada por vários fatores, desde hormonais até genéticos. O tratamento deve também ser específico para cada pessoa e variar conforme o problema. Já o seu consumo medicinal é contraindicado para gestantes, lactantes e pessoas com problemas cardíacos. Sempre procure orientação médica antes de usar qualquer planta com propriedades medicinais.

Fonte: https://belezaesaude.com/jaborandi/?utm_source=blog-updates&utm_medium=webnotifications



As Maravilhas do Alho, Mel e Limão

Pode ser que você ainda não tenha experimentado o mel de alho e limão. É possível que esta combinação lhe pareça inclusive um pouco estranha ao incluir ingredientes que, inicialmente, parecem incompatíveis, mas ela é maravilhosa para fortalecer o sistema imunológico. A medicina natural a utiliza há séculos como expectorante e como remédio para reforçar nossas defesas.

Agora, o mel de alho pode ser adicionado a outros elementos com os quais potencializar ainda mais seus benefícios naturais.Não apenas o limão, como a pimenta e a canela são produtos medicinais que costumam ser combinados frequentemente com o mel para tratar processos infecciosos ou virais, e inclusive para potencializar a circulação sanguínea


Por que temos mau hálito e quais as principais causas do problema

Mais comum do que você imagina, o mau hálito ou halitose acomete 1 em 4 adultos e é definido como uma alteração do hálito que o uso de uma bala de menta ou um bochecho não resolvem. A literatura médica esclarece que se trata de um sintoma e não é doença, e que ele conta mais de 40 causas diferentes. Porém, em 90% dos casos, trata-se de um problema bucal. Em um passado recente, os dados científicos sobre o problema eram escassos. A explicação para isso é que até mesmo entre os cientistas, falar sobre o assunto era um tabu que esbarrava em diferenças culturais e raciais na percepção de odores.

Hoje, sabe-se que a halitose tem um impacto negativo na vida pessoal e social dos indivíduos por ela acometidos, especialmente porque, por vezes, não é por eles perceptível e, a depender da hora do dia e do tipo de dieta de cada pessoa, o incômodo se intensifica —para pior. A origem do problema pode ser bucal e extra bucal. A primeira é responsável por 90% dos casos. Confira:


Causas bucais: Saburra (placa bacteriana depositada sobre a língua); Cárie; Periodontite; Gengivite; Cáseos (placas bacterianas depositadas nas amígdalas); Xerostomia (boca seca);

Causas extra bucais: Insuficiência renal e hepática; Diabetes descontrolado; Infecções dos brônquios e pulmões; Estresse; Refluxo gastroesofágico.

Outros fatores que contribuem para o mau hálito: Infecções na garganta ou no nariz; Baixo consumo de água; Uso de tabaco; Consumo de álcool; Respiração pelo nariz; Ronco


Ter mau hálito pela manhã é normal? Sim. Isso acontece em razão do jejum prolongado das horas de sono e também como consequência da redução natural do fluxo de saliva. Após a higienização e a primeira alimentação do dia ele desaparece. Se isso não acontecer, consulte o dentista.

Dá para prevenir? Sim, e a melhor forma é fazer visitas periódicas ao dentista para manter a saúde bucal em dia. Além disso, coloque em prática as seguintes medidas: Cultive e mantenha bons hábitos de higiene bucal; Escove os dentes usando creme dental com flúor, ao menos duas vezes ao dia, especialmente antes de dormir. Caso você use prótese, converse com seu dentista sobre a necessidade do uso de soluções antibacterianas; Aprenda a fazer uso correto do fio dental. Evite fios com haste porque eles removem apenas os resíduos alimentares, mas não retiram a placa bacteriana do sulco gengival; Faça uso do limpador lingual ou de uma escova com cerdas mais duras para higienizar a língua ou de uma escova com cerdas mais duras para higienizar a língua e suas laterais dela pela manhã e à noite. O seu dentista pode orientá-lo qual é a melhor solução no seu caso; Mantenha-se hidratado para garantir maior fluxo de saliva: consuma de 1,5 a 3,0 litros de água todos os dias; Tenha sempre ao seu alcance gomas de mascar sem açúcar para estimular a salivação; Reduza ou abstenha-se do consumo de tabaco; Reduza ou abstenha-se do consumo de álcool; Evite ficar mais de 3 ou 4 horas sem se alimentar. Contudo, lembre-se que certos alimentos podem intensificar o odor de seu hálito como alho, cebola ou azeitona.

Fontes: Rosileine Uliana, cirurgiã-dentista, especialista em periodontia, integrante da Comissão de Halitologia do CRO (Conselho Regional de Odontologia) e associada da Associação Brasileira de Estudos e Pesquisas dos Odores da Boca; Débora Heller Douek, professora dos cursos de graduação e pós-graduação em odontologia da UNICSUL (Universidade Cruzeiro do Sul), e pesquisadora visitante do Hospital Israelita Albert Einstein, PhD em Biologia Oral pela Boston University (Estados Unidos); Soraya de Azambuja Berti Couto, mestre e doutora em estomatologia, especialista em odontopediatria, atuando na área de odontologia hospitalar e professora da PUC-PR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná).

https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2019/12/31/origem-do-mau-halito-quase-sempre-esta-na-boca-saiba-por-que